Ex-funcionário pode ter sabotado cerveja de MG

A Polícia Civil informou, no início da noite deste sábado (11), que trabalha com a possibilidade de um ex-funcionário da Backer, que já tem desavenças com a empresa, ter sabotado as linhas de produção L1 e L2 do lote 1348 da cerveja Belorizontina. Há um boletim de ocorrência registrado pela companhia contra essa pessoa.

A corporação mudou o posicionamento durante o dia. Mais cedo, havia informado que as duas investigações não tinham qualquer ligação.

Contudo, em contato com o delegado responsável pelas investigações, a corporação corrigiu a informação e disse que não descarta uma possível interferência desse funcionário.

A Backer é a principal linha de investigação da Polícia Civil na apuração dos casos da doença causadora da síndrome nefroneural. A enfermidade já acomete ao menos nove pessoas em Minas Gerais e também resultou na morte de Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, que perdeu a vida na última terça.

Isso porque a própria polícia encontrou a substância química dietilenoglicol em garrafas do rótulo Belorizontina. O laudo foi obtido depois que a corporação realizou uma operação na sede da Backer, localizada no Bairro Olhos D’Água, na última quarta.

12/01/2020